slide

Quando você acha que não tem o que vestir

  Quem nunca se deparou com o guarda roupa lotado de peças, diante de um compromisso e soltou aquela velha frase "Eu não tenho o que vestir?", e se desaba na frustração e as vezes até acaba deixando de sair justamente por isso.

 Pensando nisso, quero compartilhar com vocês a minha experiência depois que decidi montar o meu Armário funcional (com looks) e o passo a passo de como montar o seu.


 Em meio ao armário lotado, a loucura das fast-fashion, as informações desenfreada de novas tendências, a peça trend do momento, que os nossos desejos de moda vai aumentando e o consumismo falando mais alto e o nosso guarda roupa se atolando em roupas, que muitas das vezes passam meses e anos sem nunca termos vestido pela compra por impulso.

 Acredito que a maioria de nós já se apaixonou por uma peça, comprou e não usou. Não é mesmo? Eu mesma, já fiz isso várias e várias vezes, de se apaixonar por uma blusa ou vestido, experimentar e gostar da peça, comprar e quando chegar em casa, o caimento não era tão bom assim, e a peça lá completamente parada, e o dinheiro totalmente mal investido.

  Desde que iniciei o meu armário funcional, minhas compras estão ainda mais conscientes - confesso a vocês que pra comprar seja o que for, eu sempre penso várias e várias vezes até achar que realmente vale a pena, mesmo quebrando a cara depois de ter comprado e não ter valido tanto a pena assim. Acontece! -. Sendo que a minha maior dificuldade sempre foi em usar as peças de uma outra forma, e sair da mesmice de usar sempre o mesmo look, da mesma blusa com a mesma calça, o mesmo vestido com o mesmo sapato. E por isso sempre achamos que nunca temos roupa pra nada.

  Os dois passos mais importantes antes de entrarmos a fundo no nosso guarda roupa é: Identificar o seu estilo. Por mais que a gente ache que não temos estilo - eu estou em processo de identificação ainda - , todos nós temos um, dois ou até três estilos. Se pararmos para prestar atenção no tipo de peça que compramos ou usamos, existe um padrão entre elas - peças mais clássicas, peças mais românticas, peças mais esportivas - e isso nos ajuda a conhecer mais afundo o nosso estilo pessoal.

  O segundo ponto depois de termos uma noção do nosso estilo é: Evitar a compra por impulso.

  Mas como Luana? Simples! A gente já sabe exatamente o tipo de peça que gostamos, correto? E a gente sabe o quanto é difícil resistir as tentações de uma promoção, daqueles super elogio das vendedoras que acaba nos convencendo a levar... e aí vem o exercício chave: Pegue a peça, vá para o provador, vista e se pergunte " é lindo, é barato e me serve, mas eu realmente vou usar? Ela combina com outras peças que eu tenho em casa? Eu tenho ocasião para usar?

  A partir destes questionamentos passamos a evitar gastos desnecessário e uma peça parada por falta de uso. E nada melhor e mais econômico do que fazer suas compras dentro do seu próprio armário, não é mesmo?


Agora vamos ao nosso guarda roupa?! 

  Depois de feito esses dois pontos importantes, vamos enxergar exatamente o que temos no armário. 

  A gente sabe que os espaços estão cada vez mais reduzidos, apartamentos ficando cada vez mais minusculo e é comum termos armários sem espaço o suficiente e isso piora ainda mais a questão de não conseguirmos no meio da correria do dia a dia não visualizarmos o que temos, e acabamos vestindo as peças sempre do mesmo jeito ou pegando a primeira peça que ver pela frente. 

  Então o que temos que fazer é aquela limpeza geral, tirar tudo o que tem dentro do seu armário e avaliar peça por peça do que você quer manter e o que você vai doar/vender. 

 Por experiência própria, esse é o momento mais difícil, porque a gente tem sempre um apego emocional por alguma peça, e sempre tem aquela peça que a gente espera emagrecer alguns quilos para usar - e a gente nunca usa -. Então, antes de começar já coloque na cabeça que é pra desapegar geral, vestir peça a peça e ver o que ainda te serve, o que precisa de ajuste/reforma e o que você vai desapegar, e daí reorganizar tudo de uma forma que as peças fiquem todas visíveis.

  Eu deixei exatamente o que ainda minha servia, o que tinha caimento legal e valorizava o meu corpo. As peças que eu tinha usado pouco ou nunca tinha usado, deixei como base principal para montar looks com elas, e olha, fiz vários looks incríveis. Algumas outras peças que eu vi que não usaria do jeito que ela era verdadeiramente, acabei optando por reformar, por exemplo: Um vestido que o caimento já não estava tão legal, mas o tecido era lindo, preferi manter a peça e transforma-la em uma saia; Uma jaqueta que as mangas já estão apertadas, transformei em um colete e assim voltado a dar uso as peças que estavam paradas.


E agora vem a melhor parte: Novas Combinações!

  O desafio aqui é você pegar todas as suas peças e tentar novas combinações, "esquecer" - pelo menos durante esse processo" - aquelas 4 a 5 looks que a gente sempre usa do mesmo jeito. 

  Então o primeiro passo é: Experimentar! Misture peças que você nunca pensou usar juntas, misture cores que você acha que não fica legal uma com a outra. Ouse! 

  A nossa mente é muito visual, então, a partir do momento que você usa algo que nunca pensou usar de uma forma diferente, você já vai quebrando diversos pensamentos que antes julgavam que não ia ficar legal, que não estava bonito, sem antes mesmo de experimentar.

 Não tenha medo de errar, até porque não tem certo e errado. O que vai acontecer é você perceber o que combina de fato com você, se aquela jeito novo que você usou vai ficar bonito ou não, se o look ficou estranho, enfim... é um exercício que vai abrir sua mente para criatividade e novas possibilidades.

Dicas: Para cada parte de baixo (shorts, calças, saias, macacão e vestidos - sim, são considerados partes de baixo -) você deve ter no minimo 3 opções de looks com essa peça, para ter certeza que o dinheiro foi bem investido.

Outra dica é: Sempre que entrar uma peça nova no seu armário, desapegue de uma peça.


  O objetivo desse processo é fazer as nossas roupas renderem, fazer o dinheiro valer a pena, porque peça parada é dinheiro mal investido. 

  Então tentem, olhe com outros olhos para o que você tem no seu guarda roupa, experimente, misture, ouse. Se o look ficou legal, ótimo! Fotografe. É uma ótima forma de você analisar as suas composições, e quando bater aquela bad na hora de compor o look você já ter a sua própria pastinha com suas inspirações pessoais.

Não tenha medo ou vergonha de repetir roupa. 

  Roupa não é um item descartável e repetir roupa não tem problema nenhum. Então procure sempre ter peças que sirvam para diversas ocasiões, que te dê essa versatilidade de novas formas de uso para a peça, desde uma saída no final de semana até um look de trabalho.

  Um Guarda roupa funcional é isso: Te dá mil e uma possibilidades de uso sem gastar nada.

Beijos

Um comentário:

  1. Adorei o post Lu, mulher eu sou dessas que compra uma e desapega de outra. hehe coloco sempre no bazar do face, adoro fazer trocas lá. bjus


    Blog Mikaelly Menezes

    ResponderExcluir

Qualquer dúvida ou ideia você pode falar aqui, ou então no e-mail: contato@decaronanamoda.com.